O que o consumidor de móveis está procurando?

Para ter um bom volume de vendas é preciso estar alinhado com as tendências do mercado e mais: saber exatamente quais as peças que estão no topo da lista de desejo dos consumidores. Por isso separamos algumas orientações simples, porém valiosas que valem a pena incluir nas suas próximas reuniões de planejamento. Vamos lá?

 1 – Nada de móveis populares

Uma pesquisa feita com brasileiros maiores de 18 anos revelou que 81% dos entrevistados estão dispostos a pagar um pouco mais por peças mais resistentes e com design diferenciado. A partir desta informação, vale a pena verificar que tipo de móveis você está oferecendo. Eles estão alinhados com o desejo do seu consumidor? Uma boa dica é procurar novos fornecedores e conversar com os quais você já trabalha, pode ser que eles tenham linhas de produtos diferenciadas que você ainda não conheça.

 

2 – Recebendo as visitas

O consumidor brasileiro tem uma particularidade: ele gosta de mostrar sua casa para as visitas. Ele pode até não admitir, mas adora quando seus amigos e parentes elogiam os móveis e os ambientes decorados por ele. Por isso invista em peças para a sala de estar e jantar. Como mostrou a pesquisa, já que o consumidor está disposto a pagar um pouco mais, ofereça peças para estes ambientes com design diferenciado. Atualmente estão em alta os painéis para a TV com luzes de LED e móveis que misturam materiais como ferro e madeira.

 

VEJA TAMBÉM: TRABALHE COM NICHOS POUCO EXPLORADOS E VENDA MAIS!

 

3 – Local de atuação

A região do país em que sua loja atua faz toda a diferença na hora de escolher os móveis que serão oferecidos ao seu consumidor. Sabemos que existem cidades com vários perfis, vamos pegar como exemplo uma cidade “dormitório”, que é aquela em que as pessoas vão apenas para dormir, ou seja, moram nela, mas passam o dia todo em outra cidade para trabalhar. Esse consumidor vai privilegiar o conforto. Já em “cidades universitárias” onde há uma grande quantidade de estudantes, móveis multifuncionais são bastante procurados. Isso porque os espaços costumam ser menores e compartilhados por várias pessoas.

 

4 – Conforto e praticidade

Quem tem mais de 30 anos vai se lembrar de como eram os móveis produzidos naquela época. O conceito de ergonomia praticamente não existia e as peças eram estáticas. Hoje em dia o consumidor não abre mão do conforto e da funcionalidade. Por isso ofereça a eles poltronas reclináveis, estofadas e que possam se expandir ou compactar, de acordo com suas necessidades. O mesmo vale para a cadeira do home office, por exemplo. Além de ser ergonômica, ela não precisa ter “cara de escritório”. O consumidor se sentirá mais atraído se ela combinar com os outros móveis que ele tem em casa.

VEJA TAMBÉM: COMECE A PREPARAR SUA LOJA PARA AS VENDAS DE FINAL DE ANO!

 

5 – Bom atendimento

Quantas vezes você entrou em uma loja para comprar mas desistiu por causa do atendimento (ou falta dele)? Como vimos no primeiro item, ter o menor preço não é mais garantia de venda. O consumidor está mais exigente e, além de móveis de qualidade, quer ser bem atendido. Ter uma equipe de vendedores motivados e treinados é fundamental para vender mais. Além disso, mesmo que o cliente não compre naquele dia, se sentirá à vontade para voltar e mais: fará propaganda da sua loja para os amigos. 

Prestar atenção nas tendências de mercado faz toda a diferença no seu volume de vendas. Vale a pena repensar o tipo de móveis que você está oferecendo na sua loja. Será que eles estão de acordo com o que o seu consumidor está buscando? Talvez valha a pena fazer algumas mudanças. Converse com seus fornecedores e acompanhe sempre as novidades do mercado.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0

Newsletter

Informe seu e-mail e receba nossos informatívos.

Obrigado por assinar nossa Newsletter!